_______________________________________________________

sábado, 27 de agosto de 2016

O AUTOCONHECIMENTO




"Acordar para quem você é 
requer desapego de quem você imagina ser.”
(Alan Watts)










“Como poderia um ser humano querer compreender sobre os mistérios da vida e das estrelas, se ele não compreende nem a si mesmo? Como poderia uma alma humana falar de espiritualidade, se ela não tem sequer uma experiência direta e consciente com o Senhor? Como poderia alguém querer conhecer algo com mais profundidade, se ele ainda nem sequer investiu seriamente em sua própria experiência interna? Somente a imaturidade e a arrogância de um ser humano é que faz ele afirmar verdades limitadamente externas, sem que antes conheça a si próprio por dentro... Somos todos peças nas mãos do Senhor. A Fonte em sua extrema sabedoria ‘inseriu’ parte de seus propósitos em nossos próprios destinos existenciais. São muitas as regências e energias que vêm dos sistemas de vidas e penetram as nossas auras e consciências. Como espelhos cósmicos que todos somos, refletimos as próprias necessidades evolutivas de cada universo, de cada galáxia, de cada estrela, de cada sol, de cada planeta, de cada reino que entra em contato e se revela em nós. Somos o que não sabemos e, mesmo assim, há aqueles que acreditam que sabem quem os são. Não conseguimos encontrar nenhum sábio verdadeiro que não se sinta um ignorante sobre si próprio. Pois as experiências que descem dos planos mais sutis da existência, através de dimensões cada vez mais elevadas, vão destituindo a natureza da experiência humana sobre a Terra. Ao mesmo tempo em que estas experiências místicas estremecem as certezas da vida, oferecem um aporte de luz superior que ascendem a consciência para um outro nível. Ao final, ninguém sabe ao certo o que resta de nós. E todos aqueles que tentaram trazer às palavras as experiências que vivenciaram por dentro, nestas elevadas dimensões celestiais, confirmaram a limitação inerente das palavras para transmitir a real natureza da aventura mágica da Fonte em suas consciências. De outra forma, confirmaram que o silêncio e a humildade são pré-requisitos fundamentais para a Senda Transcendental do Autoconhecimento.”    (Do livro “COMANDO ESTRELINHA, Temas Transcendentais”, págs 23 e 24, Horácio Netho, Ed. Alfabeto, 2012)








“O autoconhecimento é essencial, mas não pode ser en­contrado nos livros; o autoconhecimento resulta de obser­vações a nós mesmos no espelho das relações, revelador do funcionamento total da mente.”   (Krishnamurti)












“O autoconhecimento é uma referência transitória que persiste para a consciência humana, enquanto esta vivencia as suas realidades perceben­do-se em separado para com a rede que sustém a unidade cósmica. Quan­do a consciência humana atinge um determinado estágio de maturidade e evolução finda-se o processo de autoconhecimento como referência. As re­alidades internas e externas se apresentam interconectadas. Daí, o processo transforma-se, natural e automaticamente, em TODO CONHECIMEN­TO. É que a própria consciência humana passa a não se identificar mais com os seus limites corpóreos comuns, pertinentes a este reino. Percebe-se estendida, atraída e integrada a um corpo maior. Desta forma, a unidade cósmica conspira favoravelmente para a expansão deste evento interno, oferecendo apoio externo e elementos que sutilizam a consciência huma­na, dando suporte para os acessos às dimensões mais altas e confirmações destas realidades.”  (Do livro “VIA CORAÇÃO, caminhos da transformação”, pág 145, Horácio Netho, Ed. Alfabeto, 2011)







QUEM SOMOS NÓS
(DOCUMENTÁRIO)





“Pergunte para dentro de você mesmo:
- O que você é, quem você é?”   
(Trigueirinho)












“Você pode ter um equipamento eletrônico ou um relógio caro com você, mas se você não sabe como usá-los eficientemente, eles são um traste. Agora pense que máquina maravilhosa que você mesmo é! Você não deveria saber como operá-la e obter os melhores resultados com isso? Antigos videntes indianos descobriram a arte de operar a máquina humana, mas seus descendentes têm recusado tal arte. Se você tiver a sede de saber, você pode acender a lâmpada de sua vida a partir da dos sábios e experimentar contentamento e bem-aventurança. Cada ser tem seu próprio Dharma ou especialidade inata ou individualidade ou características especiais. Essa regra também se aplica às folhas de grama e às estrelas. O cosmos não é um fluxo invariável. Ele progride continuamente para alcançar uma totalidade de qualidades e circunstâncias. Mas se você está mergulhado demais na ilusão que permeia tudo, você não pode elevar-se. As pessoas gabam-se por estar interessadas somente na investigação e na razão, por seguirem apenas o caminho do conhecimento supremo (jnana). Elas aspiram por serem pessoas liberadas que têm o conhecimento supremo – (jnanis)! Mas o conhecimento supremo não pode ser alcançado sem uma mente pura. Ele tem de descobrir quem ele é, antes de se aventurar na indagação de: 'Quem é Deus?' Uma vez que tenha descoberto quem ele é, não há necessidade em saber quem é Deus, já que ambos são o mesmo. Deus encarna como um ser humano para recordar o homem e redimir a humanidade. É por isso que o nascimento humano é considerado altamente sagrado. A forma humana é um conglomerado de cinco elementos, ou seja, terra, água, fogo, ar e éter. Portanto, não fique com a noção errada de que Deus está confinado a uma forma específica. Tentamos descobrir Deus buscando-o por todo o Univer­so, mas deixamos de investigar sua existência em nosso interior, como a própria essência e princípio básico de nos­so ser. Com a descoberta de nós mesmos, de nosso ser, toda a lamentação cessa e atingimos a felicidade suprema. Este é o verdadeiro autoconhecimento."     (Sathya Sai Baba)















Sobre Origens Estelares de Seres Humanos



“Você só pode descobrir a sua origem através de vidência, mas não vidência em astral ou mental, porque o astral e o mental enganam muito. Quando se fala que você só pode saber da sua origem por vidência, quer dizer vidência do espírito, vidência da mônada. É a mônada que tem esta vidência de onde você provém, de que estrela você vem, de planeta você vem, de que universo você vem... isto é um campo tão vasto, que esta notícia não pode vir da Terra nem de ninguém. É a mônada, é o espírito que tem que dar este toque. Então, você pode sim saber isto, desde que tenha sido alguma mônada instruída que tenha lhe informado, ou que a sua própria mônada possa lhe informar se ela tiver clareza a respeito disso. Saber a própria proveniência (Cósmica), saber de onde você veio, isto não é coisa que se possa saber pelos métodos da Terra, isto é coisa que deve vir de outros planos. E para vir de outros planos, é necessário que seja útil para você evolutivamente saber de onde você veio. Porque saber de onde veio significa se responsabilizar pelo que vai fazer aqui, porque é o que for fazer aqui que você vai ter que levar para lá, quando voltar. De forma que para saber isto, precisa que nós estejamos muito maduros. Porque saber realmente de onde se veio, isso lhe dá a responsabilidade de voltar para lá, quando tiver que voltar, levando uma positiva experiência terrestre, senão vai deixar o seu lugar de origem um pouco contaminado pelo que você está levando para lá. De forma que é muita responsabilidade, e quando você soube do seu lugar de origem e se responsabilizou por isso, a partir deste momento, você está responsável por tudo que você vai levar consigo na hora do retorno. Este tema é muito amplo...”  (Trigueirinho em “Irmaõs Maiores de Outras Estrelas”)








“Inicialmente, o homem se identifica com a matéria, o mundo das formas. Procura ter posses, conquistar e ter controle. Não se realiza completamente e se prende ao sofrimento. Há um chamado àqueles que buscam. Daí, o homem parte para o encontro consigo, o seu mistério. Aprofundam-se o autoconhecimento e o autocontrole. A realização começa a acontecer a partir do próprio homem, nas suas verdades ocultas [...] Isto que denominamos de corpo físico é uma representação simbólica redimensionada da expressão abstrata superior do ser humano. O ser humano é essencialmente abstração movendo-se além da ilusão do mundo das formas [...] Cada ser humano, enquanto indivíduo, não pode ser quem não o é. Da mesma forma, cada ser humano não deve fugir da sua essência e deixar de ser quem ele verdadeiramente é. Apesar de alguns seres humanos se esforçarem para sustentar máscaras criadas ignorantemente para representar quem não são, em resposta ao seu habitat social, ao apelo e manipulação da vida comum, há sempre um momento em que a natureza do ser vem à tona. A farsa se desvela e a verdade se impõe. O compromisso maior do ser humano deveria ser sempre com a sua verdade superior mais íntima [...] É necessário manter constantemente o ego sob observação. Da mesma forma, é importante saber nutri-lo adequadamente em toda a sua constituição, seja física, emocional ou mental. O ego é capaz de causar surpresas desconfortáveis aos mais desavisados, como também desfrutar de êxtases profundos advindos do divino [...] O ser humano poderia fazer um profundo trabalho de autoconhecimento, simplesmente, através das mandalas de cores que brotam intermitentemente de dentro de si. Da mesma forma, poderia trazer à sua consciência as principais cores que formatam o seu ser, pois ele é também uma decodificação dos tons do espectro solar [...] O olhar expressa grande parte do mistério humano. Aquele que sabe interpretar os olhos e os seus mecanismos de comunicação conhece bastante sobre o ser humano [...] Você está onde e como? Porque e para quê? Não sabe!? Se não, és um ignorante que precisa aprofundar-se em seu autoconhecimento e em sua atenção [...] As ações manifestadas por um ser humano conduzidas exclusivamente pelo seu ego apresentam um determinado ritmo dentro das relações espaços-temporais. Iluminado pela alma, este mesmo ser apresenta uma outra relação espaço-temporal no ritmo das suas manifestações externas, mais ordenada e harmônica. Da mesma forma, ao elevar a sua consciência ao plano divino, este mesmo ser refinará ainda mais a sua coordenação de ações e o seu ritmo será mais sincrônico e harmônico para a vida universal. Há situações em que se pode perceber claramente estas relações. A forma como um ser humano organiza e posiciona as suas palavras nos pensamentos e nas falas, a forma como ele organiza o seu lar e o seu aposento de descanso, assim como a forma como ele conduz e coordena o seu corpo físico em atividades gerais são parâmetros simbólicos que muito indicam sobre a qualidade da consciência deste ser.” (Do livro “VIA TERRA, caminhos daluz”, Horácio Netho)







BENEFÍCIOS DO AUTOCONHECIMENTO

• Desenvolver uma relação mais compreensível e harmônica con­sigo, com os outros e com os reinos paralelos, base para o amor e a compaixão;
• Perceber e reconhecer os propósitos e os meios mais adequados para o fluir harmônico destes propósitos em cada nível de consciência da experiência humana;
• Integrar-se como ser humano numa conjuntura holística, que en­volve desde a experiência vivenciada na Terra até a experiência celestial da vida cósmica.






“Sou um mistério para mim mesmo.”   
(Padre Pio)












“Não somos um corpo que conduz um espírito. Somos um espírito imaterial que faz uso de vários corpos de consciência para o seu aprendizado na Terra. Quando entendemos isto e entregamos o nosso corpo físico para os desígnios da essência espiritual, a vida se torna leve e missionária. Mais à frente, descobriremos também que não nos limitamos a apenas ser um espírito. Somos muito mais que tudo isto que os conhecimentos terrenos nos dispõem até agora [...] O ser humano traz em si um enumerado grau de elementos que regem a sua constituição e a sua programação para a vida terrena. O EU superior de um ser humano pode liberar e ofertar informações importantes para o seu autoconhecimento, em sua passagem pela vida inferior sobre a Terra. Regências astrológicas, regências numerológicas, resgates cármicos, Odu de Orixás, portais cabalísticos acessados, polaridade dominante (Ying ou Yang), nível iniciático, alcance dimensional, energia dominante da aura, Linhagem Hierárquica, origem cósmica e os Raios regentes da mente, da alma e da mônada são algumas das informações que auxiliam o ser humano a se posicionar diante de si e da vida planetária e cósmica [...] O sábio vive em atenção, buscando perceber-se, compreender os outros e a si próprio constantemente. Sabe que há um eixo central que lhe equilibra interna e externamente. Busca-o para a sua consciência. O tolo preconiza a vida dos outros e valoriza por demais o mundo externo, identificando-se com a vulgaridade e futilidade da vida comum. Prefere a superficialidade da vida mundana [...] Há pessoas que destinam uma pequena parte das suas riquezas materiais para confortarem os seus egos ajudando os menos favorecidos. Afirmam para si, em surdina, o quanto são boas, altruístas e desapegadas, sem perceberem os vínculos que ainda mantêm com a matéria e com estas próprias ideias. Usam este ‘pseudoálibi’ para fugirem do que realmente importa e adiarem o seu compromisso com a total entrega. Evitam o autoconhecimento. São covardes de si mesmos que se ludibriam com os poderes inferiores da matéria. Não têm o menor conhecimento ou experiência espiritual direta. Não conhecem os mundos das energias sutis, apesar de se intitularem espiritualizadas. São prisioneiros de Samsara, confirmando as suas ignorâncias [...] Ao praticar a verdadeira contemplação, o ser se desnatura e transcende todos os conceitos pré-estabelecidos pela sua mente. Desta forma, acaba se expandindo, conhecendo e encontrando a si próprio interconectado num mergulho profundo na essência do todo [...] Para se conhecer um ser por inteiro é necessário reconhecer todo o bem e todo o mal que há nele para, em seguida, ir-se além do julgamento e aceitar o Deus neutro que há nele indistintamente [...] Decidiu saber quem o é? Resolveu-se pelo autoconhecimento? Prepare-se para o inusitado. Desfaça-se de qualquer imagem ou noção que tenha a respeito de si próprio, dos outros e da vida, necessariamente. Não gere expectativas e se entregue ao seu Deus. Fique atento com fé e humildade. Aguarde, que o seu Deus providenciará, inevitavelmente.” (Do livro “VIA TERRA, caminhos da luz”, Horácio Netho)






EU MAIOR
(DOCUMENTÁRIO)








"Ao analisar o que você é, tenha o firme desejo de eliminar suas fraquezas transformar-se no que deveria ser. Não se permita desanimar com imperfeições que são comumente reveladas através de uma autoanálise sincera."  (Paramahansa Yogananda)













“Quando não temos um completo conhecimento sobre nós mesmos, não temos conhecimento suficiente sobre os ou­tros também. Desta forma, somos incompetentes para a verdadeira compaixão e, menos ainda, sequer deveríamos julgar qualquer ser humano.”   Horácio Netho  (VIA TERRA)





Consciência, Mente Concreta e Ego
O Reconhecimento de Si Próprio
A Verdade do Coração, o Ego e a Personalidade
(http://www.irdin.org.br/acervo/detalhes/3114)



SABEDORIAS do AMOR









“O verdadeiro amor nunca se desgasta.
Quanto mais se dá mais se tem.”




“Como o atual posicionamento fí­sico da Terra se encontra dentro de um quadrante Galáctico regido pela energia do Raio Cósmico de Amor Sabedoria, todos os seres de todos os reinos deste planeta seguem sob a regência primordial, mas não única, desta energia (Amor) tão enaltecida pelos seres humanos. A compreensão do princípio regente do Raio Cósmico de Amor Sabedoria é acolhido por diferentes seres e de diferentes formas, onde cada ser segue num processo evolutivo de amadurecimento em conta­to com esta energia sutil. A cada progresso ascensional na escala evo­lutiva cósmica a energia do Raio Amor Sabedoria é compreendida de uma forma mais expandida, renovada e lúcida. Uma das formas de incorporarmos o Amor Sabedoria, na Terra, é reconhecermos as necessidades de cada tempo e ciclo cósmico, as suas características e discriminações específicas demandadas sob a égide evolutiva. Desta forma, aqueles que estão mais atentos aos eventos que ora acontecem sob a face da Terra, sabem que estamos em uma inten­sa fase de juízo. Em verdade, as instruções que chegam da Hierarquia Cósmica a esta humanidade afirmam que, não só os seres humanos deste planeta, mais todos os reinos que compõem este mundo e, mais ainda, todos os planetas deste sistema solar, todos os sistemas solares desta galáxia e todas as galáxias deste Universo Local, também estão sob juízo [...] Os seres mais intuitivos e que conseguem seguir às ordens corre­tivas de seus sensores mais internos, seguem de forma mais harmônica a energia do Amor Sabedoria. Quando um ser está bem integrado à sua voz interna, seguindo os seus juízos pessoais e sintonizado harmonica­mente dentro de sua posição hierárquica, seja nas estruturas familiares ou nas sociais de serviços e produção, sua energia vital do campo áuri­co flui sem bloqueios. Desta forma, seus chacras ficam alinhados com as energias superiores e o seu propósito existencial, para com a vida terrena e com a Fonte, ficam espontâneos em sua consciência [...] Para desvendarmos todos estes possíveis mistérios sobre julgamen­tos e Hierarquia, deveríamos simplesmente recorrer ao Amor Sabedoria que se encontra, indistintamente, manifestado em cada um de nós. Pois a essência mais profunda de um ser humano, em última instância para a Terra e neste momentum cósmico, é puro Amor Sabedoria.Vejamos, então, que poucos de nós saberemos verdadeiramente o que possa vir a ser o Amor Sabedoria nos níveis mais altos de sua manifestação. Porém, historicamente, os grandes mestres e instrutores que marcaram a vida ancestral da Terra, sempre apontaram para a voz do coração.”  (Do livro “VIA CORAÇÃO, caminhos da transformação”, págs 252 a 254 e 265, Horácio Netho, Ed. Alfabeto, 2011




“Amai-vos uns aos outros, mas não façais do amor um gri­lhão. Cantai e dançai juntos, e sede alegres; mas deixai cada um de vós estar sozinho, assim como as cordas da lira são separadas e, no entanto, vibram na mesma harmonia."  (Khalil Gibran) 








“A elevação da vida humana através de uma maior conscientização do Amor Sabedoria para a Terra se dá por meio de expansões de consciência que são denominadas espiritualmente de Iniciações.”  (Do livro “COMANDO ESTRELINHA, Temas Transcendentais”, pág 177, Horácio Netho, Ed. Alfabeto, 2012








“Amo como ama o amor. 
Não conheço nenhuma outra razão para amar senão amar.”  










“A aceitação é a base na qual se manifesta o amor cósmico. A aceitação deve ser total e indistinta. Devemos aceitar a forma como se expressa toda a nossa vida externa, mas também aceitar todas as nossas reações internas diante as expressões que vêm de fora, sejam elas positivas, negativas ou neutras. A vida nos traz sempre um aprendizado [...] É preciso amar o opositor. Em outras palavras, é preciso aceitar o que e quem te opõe, unir-se a ele em consciência, dissolver a oposição e chegar à neutralidade da percepção da realidade superior. Um trabalho a ser realizado internamente, dentro de cada ser humano [...] O fruto mais nobre da árvore da vida, a colheita mais sublime e elevada da consciência humana na Terra: o amor sabedoria [...] O amor sabedoria é o portal para Kether, a última sephira a ser alcançada pela consciência humana no seu percurso pela árvore da vida, nos ensinamentos cabalísticos. Este setor do Cosmos, no qual a Terra se encontra, é regido pelo raio amarelo do amor sabedoria. A incorporação consciente da sabedoria do amor é, portanto, o estágio mister a ser conquistado para o ser humano se autorrealizar e tornar-se totalmente liberto [...] O medo inibe o amor e vice-versa [...] Um ser mítico de grande luz pode descer aos mundos dos infernos. Vivencia e olha-o de frente... reconhece-o. Purifica-se, eleva-se e o transcende. Torna-se luz guia para aqueles que seguem a senda do Amor Sabedoria.”  (Do livro “VIA TERRA, caminhos da luz”, Horácio Netho








“O amor começa com a aceitação do direito de ser, pessoal e alheio, uma aceitação que vai crescendo até se converter num apreço por ti mesmo e pelos outros, pelas suas qualidades, dons e bondade básica. E continua a crescer até se transformar numa alegria e numa fascinação que envolve tudo e todos.”  
(Extraído de “Um Manual para a Ascensão”, Seraphis Bay por Tonny Stubbs , 2001) 








“O amor existe por causa do amor, e nada mais. Ele é espontâneo e espalha felicidade. Tudo é permeado pelo amor. O amor pode conquistar tudo. O amor altruísta, puro, genuíno, leva o homem a Deus. O amor egoísta e limitado prende o homem ao mundo. Incapaz de compreender a natureza sagrada e pura do amor, o homem de hoje é uma presa das preocupações intermináveis, causadas por seu apego aos objetos mundanos. O dever primordial do homem é entender a verdade sobre o princípio do Amor. Quando ele entender a natureza do amor, ele não se perderá [...] Somente aqueles que se preencheram com o amor e vivem na luz de tal amor são chamados homens. Aqueles destituídos de amor são demônios. Os preenchidos com o amor são incapazes de malevolência, egoísmo, injustiça, iniquidade e conduta imprópria. Mas, naqueles que não têm nenhum amor, as qualidades acima mencionadas são predominantes. Entende-se por amor o que é puro, desinteressado, firme e destituído da impureza. Somente o amor pode revelar a Divindade latente em todos. Amor é Deus. Vivam em Amor.”  (Sathya Sai Baba








“Para atingir a sabedoria-amor, o candidato deve praticar a devoção ou reverência, a inquirição ou investigação, e o serviço; a primeira compreende a reta emoção, a segunda o reto pensamento e compreensão, e a terceira o reto uso da vontade na vida prática.” (Do livro “Os Mestres e a Senda”, C. W. Leadbeater, pág. 137, Ed. Pensamento, 2005)









“Uma consciência humana terrestre imatura e despreparada para as surpresas e profundidade do Amor Cósmico pode ficar frustrada com as experiências que se revelam neste nível de realidade. As perspectivas do Amor mundano comum devem ser destituídas na imagem sugerida pelo homem de mente comum, para que um outro nível mais misterioso do Amor possa lhe ser revelado. É preciso esvaziar-se de expectativas e deixar a mente unir-se ao coração silenciosamente para que os milagres do Amor Cósmico possam nos tocar.”  (Horácio Netho)








O Amor das Estrelas
Um Tipo Esquecido de Amor  
A Ativação do Amor Cósmico em Nós 
(http://www.irdin.org.br/acervo/detalhes/6600)